segunda-feira, 28 de maio de 2007

O meu mundo amarelo

Existe cor em quase tudo o que nos rodeia e não há maior diversidade de cores do que aquelas que encontramos na natureza, mas se experimentarmos perguntar a qualquer pessoa qual a sua cor favorita, a preferência recai sobre o azul. Na minha opinião, esta unificação em torno do azul nasce com a introdução em massa da ganga (hoje diz-se jeans) no nosso vestuário. Na década de setenta ganga era a peça essencial do vestuário da maioria dos jovens, calças, coletes, blusões, camisas e até ténis, havia de tudo e todos usavam. A ganga era inevitavelmente azul ou branca e as grandes marcas do meu tempo era a Levis Strauss, Lee, Wrangler, isto apenas citando as de que tenho memória. A verdade é que essa moda perdurou até aos nossos dias e ainda hoje a ganga faz parte integrante do vestuário de muitos de nós nem que seja aos fins-de-semana. Acredito que seja por este factor que o azul se tornou a cor dominante nas preferências de tanta gente. E as outras cores?
Já muitas vezes reflecti sobre os motivos que nos levam a gostar mais de umas cores do que de outras, em parte será instintivo, mas acredito que certos factores exteriores nos podem induzir a gostar de cores que até então nos passavam completamente despercebidas. Será? Ou isso só acontece comigo?
Norma geral gosto de cores vivas, cores alegres que simbolizem vida e luz, maneira de ser. Entre os meus tons favoritos estão os pastéis e o branco. Gosto de fazer contrastes entre outras cores e o branco. Mas confesso que actualmente adoro o amarelo…
Tudo começou em 1991, início de um dos piores períodos da minha vida quer a nível sentimental quer a nível económico. Depois de ter sofrido inúmeros revezes da sorte e de ter perdido a confiança em pessoas que julgava serem a toda a prova, confesso que subsistiu uma imensa amargura e um total desinteresse por quase tudo. Dividia os meus dias entre o trabalho, tratar da vida doméstica, ler e ver televisão, na maior parte das vezes por volta das 21h estava na cama onde procurava ler qualquer coisa e sonhar com dias melhores. Lembro-me que estava a ser doloroso. Para fazer face a determinadas despesas vi-me na necessidade de me desfazer de parte do equipamento que possuía, guitarras e amplificadores maioritariamente. Fiz vários negócios, através de um amigo que tinha muitos conhecimentos, alguns mais lucrativos do que outros confesso. Um dia, a propósito da venda de um amplificador de estimação, o tal amigo apareceu na minha casa com uma proposta de um comprador: o fulano pagaria uma grande parte em dinheiro e outra com uma guitarra. O dinheiro fazia-me falta e uma guitarra é relativamente fácil de vender, por isso senti-me tentado a aceitar. Só que havia um ligeiro problema, a guitarra era amarela, não um qualquer amarelo mas quase fluorescente. Na verdade a cor é denominada Desert Sun Yellow e a marca Ibanez. Aí recuei um pouco, o amarelo, confesso, não era na altura uma das minhas cores de eleição, aliás nem lhe ligava nenhuma, diga-se em abono da verdade. Vendo-me vacilar no negócio, o meu amigo abriu o estojo da guitarra e lá estava, sobre fundo totalmente preto aquela coisa amarelo brilhante. O meu amigo disse-me – “Olha fica com ela uns dias para ver se gostas, se não gostares pensamos noutra solução”- a verdade é que o instrumento ficou.
No dia a seguir à conversa lá decidi dar uma olhadela ao instrumento. Na verdade aquele amarelo vivo sobre o fundo negro cativou a minha atenção, nem sei bem porquê, talvez o contraste. Comecei por inspeccionar as madeiras, depois as partes mecânicas e finalmente a electrónica e os acabamentos, tudo irrepreensível. Toquei um pouco com ela desligada para ouvir o som das madeiras e finalmente liguei-a ao amplificador. A verdade é que fiquei totalmente impressionado com a guitarra e graças a ela voltei a sentir-me vivo. Acabei por concretizar o negócio e desde aí não mais parei de tocar naquela guitarra amarela. Alguns meses mais tarde voltei para a música em termos profissionais e a minha guitarra amarela tornou-se uma imagem de marca que dura até aos dias de hoje, de tal forma que se alguém aparece com uma guitarra amarela todos pensam que fui eu que emprestei a minha. A minha Lady DY é o meu cartão de visita e graças a ela tenho tido momentos inolvidáveis, o carinho que sinto por ela é do tamanho do mundo tantas coisas vivemos juntos. Nos momentos mais duros e solitários foi tocando nela que ganhei forças, nos momentos mais felizes foi tocando nela que festejei, em parte, esta guitarra representa a minha vida. Já tive muitas guitarras, umas foram e outras vieram, algumas ficaram outras não. Hoje tenho apenas dez, mas de todos eles a número um é a minha Lady Dy o meu único e verdadeiro primeiro amor. Graças a ela aprendi a gostar de amarelo e hoje adoro coisas amarelas, mais do que roupas. A vida tem destas coisas, pequenos nadas transformam muito a forma como vimos ou gostamos do que nos rodeia. Hoje sei que o ano de origem da minha guitarra é 1987 que se trata de um modelo de sucesso à escala mundial e que a marca lançou agora um instrumento rigorosamente igual em edição especial. Trata-se da Ibanez RG550DY, série limitada com estojo em amarelo igual à guitarra. Penso que vou ficar com uma para mim, mas vou precisar de dois estojos he he he.

30 comentários:

kuska disse...

quelido pele amalela,
espelo que não soflas de etelícia!

agora a sério, o tema das cores é muito fascinante e propicía muitas abordagens.
no caso deste teu post acabo por concluir que não há coincidências:

a guitarra, amarela, apareceu numa fase negra da tua vida, dentro de um estojo preto, cor associada ao luto, à ideia de morte, mas também de mistério e dignidade!

a cor amarela transmite força, energia, calor, luz e é simbolicamente associada à prosperidade ( aqui se explica a tua preferência pelo lamborghini amarelo!)

tudo o que nos acontece tem um significado e mesmo no pior momento existe algo de bom.

bom, é ficar por aqui.. senão quem ler o meu comentário pensa que sou apanhadinha do clima. o que por sinal até é verdade!!!

beijinhos à lady Di e a ti xxxx

kuska disse...

p.s. não tenho tanta certeza como tu, de que a maior parte das pessoas preferem o azul - caso para lançares um inquérito..

e muito menos concordo que tenha a ver com o aparecimento dos jeans.
volto ao simbolismo das cores e tonalidades. azul: céu, ideal, sonho, espírito, pensamento; azul escuro: monotonia!

hoje adoro lilás ;0)

AcidoCloridrix disse...

Amarelo, significa cuidado, aviso, atenção,,,,,

Teresa disse...

Nas Filipinas, por exemplo, o amarelo simboliza o luto.

A minha cor de eleição é o cor-de-rosa. Essas estatísticas estão a sair-lhe goradas, Afgane! :)

Quanto à sua associação entre a prefência de muita gente pela cor azul e a ganga... ora, com franqueza!
Um tecido que vai em pouco mais de 40 anos de uso massificado contra milénios de História da humanidade? É que o mundo sempre foi a cores, não se esqueça.
Isso é indefensável, estou com a Kuska!

Kuka Girl disse...

Amarelo é inteligência!!! Auf!!!

AMR disse...

Man,

Tou-me nas "tintas" para a cor, passo o quasi-pleonasmo...

A guitarra soa, e é, um espectáculo! Qualquer cor fluorescente chama imediatamente a atenção, o amarelo acontece ser naturalmente (i.e. por natureza), fluorescente.


Quanto a Lamborghinis (retratas o Lamborghini Diablo Roadster 1997 num dos exemplos, e/ou de carros bem desenhados), a cor que não disfarça nem realça traços e que deixa a verdade transparecer é o "titanium silver", vulgo cinzento matte.

Cinza só vale o que vale se for mesmo bonito objecto pintado de cinza que não reflicta.


A guitarra vale o que vale porque se ouve e a ergonomia permite também ouvir o que se ouve... como se definem "cores acústicas"? Essa é encadeantemente estonteante se
"out of control"!

Abraços,
AMR
http://www.alvaromrocha.com

PS - Tive o prazer e honra de ouvir este amarelo objecto a lançar dinamite sonoro através de uma cabeça de válvulas mais impressionante que o aquário do Oceanário do Parque das nações e um amplificador tão grande quanto o rabo de um lamgorghini... em privado, na sala do AC himself... e de graça. Minhas caras e meus caros, it's lifetime hearing experience... e mais sendo o AC a transmitir a energia a tocar que nem um louco genial... felizmente sou já imune a impressões traumáticas de rara beleza, mas não sou indiferente. Estamos a falar de malta só da primeira divisão, dos três grandes (do maior), e porque não dá para ir mais além... ainda.

Rita disse...

Eu concordo contigo, acho que os nosso gostos se vão modificando ao longo da vida. Eu sempre detestei o rosa. Desde que as minhas R's nasceram a minha vida virou rosa. Primeiro porque os bebés muito pequeninos têm que se vestir de azul ou rosa para que as pessoas não os confundam e o que eu mais odiava era que dissessem: - Olha que bebé tão giro!
Depois de ser tão impregnada no rosa virei fã e agora gosto imenso até tenho bastante roupa rosa e tudo...

Afgane disse...

Kuska,
Mas tu, tal como eu, és apanhada do clima ha ha ha, só que disfarças muito bem. Olha eu fiz uma associação especulativa no que toca à influência dos jeans nada mais.
Beijos

Afgane disse...

Acidocloridrix,
Se eu soubesse disso à mais tempo não me meteria em algumas aventuras que me sairam caro
Abraço

Afgane disse...

Kuka Girl,
Muito obrigado amiga, deve ser por isso que gosto tanto do amarelo, sempre apreciei a inteligência
Beijos

Afgane disse...

Querida Teresa,
Tem razão as minhas estatísticas estão a falhar, mas a ideia foi seguir uma linha condutora de massificação. Por exemplo, quando uma rádio passa tantas vezes uma música que nós ao fim de um certo tempo toleramos porque já estamos familiarizados com ela e muitas pessoas passam a gostar. Claro que no caso das cores procurei uma explicação simplista para o facto de tanta gente gostar do azul na actualidade, mas foi um mero exercício sem fundamentos científicos. Reconheço que o nosso mundo é a cores e muitas felizmente.
Beijos

Afgane disse...

Hello AMR,
Tu és suspeito pois fazes parte do meu mundo e adoras tanto os Lamborghinis quanto eu he he he mas concordo contigo no que respeita ao cinzento, especialmente o Titanium do roadster Millenium. Essa do amarelo chamar a atenção deixou-me de rastos, e eu que pensava que chamava a atenção com a minha personalidade fantástica e o meu carisma he he he
Quanto à guitarra não tenho nada a dizer ela é única, na parte que me toca agradeço os elogios mas sou apenas um músico que tenta ser fiel, tanto quanto possível, à vibração que a música transmite e transportar isso mesmo para o que os meus dedos fazem.
Agora o meu amplificador é um sonho, foi amor à primeira vista em 1996 e desde aí nunca mais usei outro, um dia escrevo sobre ele.
Abraço forte amigo

Pandora disse...

OLáaaa,
achei muito engraçado dizeres que só tens 10 guitarras. Não percebo nada de musica,e achei estranhissimo, mas depois comparei com as minhas bonecas, e decobri que só tenho 20 em casa (ossos do oficio).
Devo dizer que adoro a cor azul. Não é de propósito mas quando compro alguma peça, por norma é azul. Embora actualmente vista cores fortes, não estou minimamente ralada com a moda. Devo confessar no entanto, que já passei pela fase do preto, mas que deixou de ter piada exactamente quando tive de o usar por obrigação.
O amarelo é pura e simplesmente lindo, a minha filha adora-o e fica linda vestida assim.
Acho que tudo está na nossa maneira de ser.
Beijos.

Afgane disse...

Rita,
Na verdade tudo o que nos rodeia ou vivemos nos influencia. Por vezes chegamos a gostar daquilo que para nós seria impensável, mas a vida é uma evolução constante a todos os níveis, felizmente.

Enfim... disse...

quanto ao azul a tua ideia parece ter logica mas digamos que a minha cor preferida tirando o azul é claro é o roza e tudo quanto seja bebe adoro o laranja e no entanto detesto o cinzento bahhh sou incapaz de comprar o que quer que seja com essa cor lol

ta bem visto...

Bjokas

Afgane disse...

Enfim,
Olha eu actualmente gosto de todas as cores por um motivo ou por outro e descobri que quase todas têm uma aplicação, algumas mais interessantes do que outras é verdade. Por exemplo, seria para mim impensável comprar um carro vermelho (tipo Ferrari Argh) mas gosto de misturar uma peça de vermelho com branco num contexto desportivo. Certos tipos de cinza até são agradáveis. Uma camisa rosa suave num fato bem escolhido pode dar um toque especial. Cada coisa no seu contexto pode funcionar em pleno. É tudo uma questão de gosto, mas o importante é sabermos conjugar as cores de forma harmoniosa. No fundo é isso que procuro, a harmonia. Por exemplo na tua foto o azul da água é lindo.
beijos

Van Dog disse...

Bela colecção de amarelos!
(que bom que o amarelo é uma das cores que nós vemos...)

Afgane disse...

Pandora,
É verdade que coleccionamos as coisas que mais gostamos por uma razão ou por outra, mas não te surpreendas por eu ter 10 guitarras, já tive 50 he he he.
As tuas bonecas são um doce
Beijos

Afgane disse...

Van Dog,
Eu a única cor que não vejo é a do dinheiro no final de cada mês he he he
Abraço

kuska disse...

é ainda há aquela musiquinha boba que a gente cantarolava:

era um bi-qui-ni pi-qui-ni-no com bolinhas amarelaaassss qui loucura...

não havia nexexidade desta desbunda, mas apeteceu-me!

xxx

Carracinha linda! disse...

Amarelo, porque não? Ainda por cima parece que este verão está muito na moda!!!

Gostei da história da guitarra amarela. É engraçado como por vezes colocamos de lado uma coisa, porque por algum motivo não nos agrada, e no fim acabamos depois por não nos conseguirmos separar dela.

Bjs

Afgane disse...

Kuska,
A musiquinha é um devaneio certamente causado por algum tipo de febre he he he
beijos

Afgane disse...

Carracinha,
O engraçado é que eu anteriormente a ter a guitarra nem ligava nada ao amarelo. Não há dúvida que alguns de nós são influenciados pelo que os rodeia.
Beijos

AcidoCloridrix disse...

Estás à vontade afgane,,,, afinal essa coisa do amarelo deve ser só superstição "besta",,,, oq eu importa é se nos sentimos bem,,,, com qq cor, ou qq roupa, ou qq atitude,,,
um abraço

Diabba disse...

Só para informar que a minha cor favorita é o cor-de-laranja!!

beijo d'enxofre

Afgane disse...

Acidocloridrix,
Nem mais!! Eu até gosto do azul...e branco do meu FCP carago!
Abraço

Afgane disse...

Diabba,
Então não é o vermelho? LARANJA! Uma Diabba a perder a cor, essa é de morte. Vou queixar-me ao sindicato dos Infernos, a tradição já não é o que era. Que mania a das mulheres de mudarem tudo.
beijos

AcidoCloridrix disse...

Boa noite,,,,, antes de ir de férias queria deixar aqui o meu allô,,,,, e votos de inspiração e qualidade deste excelente Blog,,,,

Mário disse...

Li bem...e voltei a ler O Elogio da Loucura... que bem me fez ler isto.

Não tanto pela cor, ou por ser guitarras eléctricas... mas pq falas de guitarras de uma forma apaixonada, isso entendo eu muito bem!! ( E a cor é mta á frente :D)

Tambem eu possuo esse bichinho, se bem que eu ando mais pelas eletro- acústicas, os meus "dois amores" são 2 Yamanha e de aspecto tambem são bastante semelhantes (aliás, têm mais coisas em comum que diferenças!)

Grande abraço!

Bernardo disse...

A minha cor preferida tb e o amarelo!

Tenho uns all star amarelos que adoro!

E adorava ter uma guitarra amarela!

Adorava aserio, e com preto ainda melhor