sexta-feira, 18 de maio de 2007

O Meu "Meme"


Esta corrente foi-me passada pela Ana e sinceramente não fazia a mais pálida ideia do que é um “meme” tirando o “moi meme”. Para quem não sabe deixo aqui uma pequena explicação que copiei da Ana.

Um "meme" é um "gen ou gene cultural" que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os "memes" podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma. Simplificando: é um comentário, uma frase, uma ideia que rapidamente é propagada pela Web, usualmente por meio de blogues. O neologismo "memes" foi criado por Richard Dawkins dada a sua semelhança fonética com o termo "genes".

A vida ensinou-me muitas coisas com o decorrer dos anos. Ensinou-me que “Tudo tem consequências”, escolhermos bem as consequências serão boas, se escolhermos menos bem, menos boas as consequências. Também aprendi na vida que o amor, seja em qual das formas for, é das coisas mais importantes. Vivemos por amor, rimos por amor e por ele sofremos, mas jamais deixamos de amar de uma forma ou de outra. Aprendi ainda que o respeito e a disciplina são essenciais no dia a dia e no nosso relacionamento com os outros, sem eles tudo se torna mais complicado.
Todos nós de uma forma ou de outra sofremos ao longo da nossa vida “Dói Mas Não Mata” faz-nos crescer. Crescemos na busca por um ideal, um sonho, algo que pode ser até inatingível, mas só por tentarmos alcançar já estaremos na viajem do conhecimento e da aprendizagem. Aprendi ainda que os nossos queridos animais, para além de serem uma fantástica companhia, ajudam-nos a trazer à superfície o melhor do que existe em nós. Sem eles as nossas vidas são mais vazias, mais tristes. A vida dotou-me com várias ferramentas, a música, a escrita, a pintura, o desenho, tudo elementos de uma mesma corrente que se chama criatividade. Tudo o que vejo na minha cabeça consigo concretizar. Sou pois um afortunado, apesar de alguns amargos de boca que já passei e que foram muitos, demasiados. Mas, para terminar quero deixar um pensamento muito meu que é também uma afirmação: É nos outros que vem o meu mal, mas é neles que me realizo e encontro, eu sem os outros sou ninguém!
Passo este desafio a: Teresa, Van Dog, Diabba, Carracinha Linda

16 comentários:

Teresa disse...

Lamento, António. Não leve a mal, mas não vou pegar no desafio, tal como já tinha dito na Gota. Seria preciso vir uma coisa interessantísma, e não considero que seja o caso.

Um beijo.

Lurdes disse...

Cá está, sensibilidade apurada!

tatoia disse...

obrigada pela partilha! :)

Carracinha linda! disse...

Passe lá então no meu cantinho para saber qual é o meu meme!

Eu cá gostei muito do seu.

Bom fds

Diabba disse...

Queres ser excomungado até do Inferno??
E deixa de fumar coisas maradas!!
Desafios... grrrr grunfff

espumando enxofre

Van Dog disse...

deixa-me digerir... darei notícias!

kuska disse...

alô,

fiquei muito impressionada com o peluche das fotos - que giro!!! suponho que seja o mais recente leitor do JL...

ainda bem que escapei do meme... já me conheces, limito-me a viver, não tenho lemas. ou se calhar tenho mas estão enterrados num canto do meu jardim secreto!

kuska disse...

desculpa, com a pressa esqueci-me de mandar beijinhos

Beijinhos xxx

Van Dog disse...

Gostei, Afgane.
Então da referência ao papel dos animais... ;)
E é verdade que o peluche é lindo!

Afgane disse...

Pois meus queridos e queridas vou responder a todo o mundo de uma só vez, cá vai:

Teresa
Ok minha amiga eu achei que seria interessante e por isso mandei.
Beijos

Lurdes
Ainda bem que veio até este humilde espaço espero que volte mais vezes eu já vou cuscar o seu
beijos

Tatoia
Ainda bem que veio e que gostou, espero contar com a sua continuada visita, eu já vou dar um olho pelo seu espaço.
beijos

Carracinha
Obrigado pela visita e vou para o seu canto seguidamente
Beijos

Cara Diabba,
Só pelo bom (mau humor) já valeu a pena he he he

Van Dog
Vá digerindo que eu vou por aí deitando uma olhadela.
Ainda bem que gostou e a minha vida sem animais não existe. O peluche é um afegão bem loucão como eu.
Abraço

Kuska
Safas-te porque não tens blog caso contrário estavas feita. O peluche é um leitor do JL de sempre! Sem JL não havia peluche.
Vê se resolves abrir o Jardim e fazes um blog.
Beijos

Submissa disse...

Calvo turpius est nuhil comto
(Marcial)

Revolvo-me das e nas entranhas de Gaia, telúrica deusa, que venero por mãe – e por isso lhe obedeço – mas é-me impossível, por abjecta, a ideia de translucidar o que meus lúzios podem, em ínfimo nanossegundo, lobrigar.

Infâmia desmembrada e dissoluta, a daqueles que, Homens de pouca ou de ausente ou inanimada fé, vilipendiam a sua própria cognição e tumultuam, em desnorte plúmbeo, a indesejada inteligência, por esgotos de sabedoria avulsa, pretendendo exaurir-se em volutas de aquiescência servil para com os Deuses e para com os pares.

Esbarrondam-se as almas, prenhes de estultícia e de lucidez, em lagares de urze elevada e de espíritos azedos, esparrinham-se os colegiais humores (e amores) em dúbia nortada aceite perene e, rojando intenções benfazejas e insuportáveis, descontroem serenidades perplexas e ubiquidades diluvianas sempre-vivas.

Subjugando-se aos ignaros apelos da subtil e mourejante lascívia, num nepotismo indemne e estrito, embrutecem – condenados sejam, per omnia secula seculorum – e das entranhas permanentes nada ressuma, nada rescende, nem sequer atavios insones ou enxúndias glabras.

Sede malditos, ó ímpios!


Risu inepto res ineptior nulla est
(Catulo)

Afgane disse...

Cara Submissa,
Obrigado pelo comentário e pela visita, espero que tenha gostado apesar de eu não escrever com a intelectualidade que depreendo do seu comentário. É engraçado que seja de Cascais, eu também sou. Espero que volte mais vezes ao meu humilde canto.
Até à próxima

Maria disse...

Eu também adoro animais ^-^ Tenho três piriquitos, uma rã albina, duas tartarugas, dois canários, uma rola, dois "rosicols" [não sei como se escreve :P]... Tive um gato preto mas a minha mãe deu-o :(
Gostei do teu cartoon.

beijinhos

Afgane disse...

Maria,
Obrigado pela visita. Folgo em saber que tem tantos amigos pois é disso que se trata quando falamos de animais. Foi pena a tua mãe dar o gato pois eles são um caso único entre os felinos e eu só tive algumas curtas experiências, pois para o meu lado é mais cães. Tenho os meus dois galgos afegãos mas gostaria de ter 5 ou 6, infelizmente não tenho nem espaço nem condições económicas para tal. Quem sabe um dia.
Beijos

Ana disse...

Gostei de tudo o que transmitiste, como sempre, mas vou limitar-me a comentar a tua última frase.
De facto, é dos outros que vem tudo o que temos, o que sentimos, o que somos.. seja o mau ou o bom.
São os outros que nos enriquecem de experiências, de alegrias ou desilusões.
Sozinhos não viveríamos, somente sobreviveríamos.

Bonito meme! Obrigada!;-)

Bjs

Afgane disse...

Olá Ana
Obrigado pelo comentário e concordo inteiramente com ele.
Beijos