quinta-feira, 20 de setembro de 2007

A namorada que eu queria...

Existem pessoas que apesar de apenas as conhecermos mediante a sua imagem e o seu trabalho acabam por constituir uma influência para nós. Temos o exemplo dos artistas de cinema ou os músicos e isto apenas para mencionar alguns. As suas influências podem ser simples referências ou até mais pronunciadas caso abracemos profissões semelhantes. A verdade é que todos temos um artista do qual gostamos e pouco importa porquê.
Eu descobri as Runaways por acaso num escaparate de uma discoteca que vendia LPs importados, isto em 1977. Confesso que o que me chamou a atenção foi ter na capa raparigas com guitarras e uma em particular, Lita Ford, usava o tipo de guitarra de que sempre gostei. O Lp intitulava-se Live In Japan e era uma pérola de rock feminino.
Carmelita Rossana Ford, mais conhecida como Lita Ford, nasceu em Londres a 19 de Setembro de 1958 mas ainda pequena emigrou com os pais para os Estados Unidos. Em 1974 com 16 anos de idade junta-se às Runaways como guitarrista, grupo em que permanecerá até ao final da banda que ocorre em 1979. O grupo recebeu sempre criticas negativas e nunca foi levado a sério: mulheres a tocar rock pesado na década de setenta? Só mesmo para rir pensavam os conservadores. Não esqueçamos que o rock mais pesado foi sempre de domínio masculino e isso ainda se verifica actualmente.

A carreira a solo de Lita inicia-se com a década de oitenta e os dois primeiros discos “Out For Blood” de 1983 e “Dancin’ On The Edge” 1984 passaram um tanto ou quanto despercebidos, isto até porque a guitarra estava na moda graças a Eddie Van Halen (Van Halen) e as estrelas das seis cordas eram cada vez mais e melhores. Aliás os anos oitenta foram prolíferos em guitarristas e também em fusão de diversos estilos musicais com o rock mais duro, exemplos disso são o trabalho de Randy Rhoads com Ozzy Osborne uma perfeita mistura de música clássica com o rock, levados ao expoente máximo por Yngwie J, Malmsteen. A juntar a tudo isto temos um emergir de novos grupos em todos os estilos e géneros.

É óbvio que uma mulher roqueira a solo passava quase despercebida. Mas os anos oitenta foram também o despontar de mais mulheres para o rock e em breve Lita já não era a única. Mas entre 84 e 88 Lita Ford passou um mau bocado e foi sobrevivendo à custa de diferentes empregos que não na música. Tendo como manager Sharon Osbourne (mulher de Ozzy) Lita Ford edita “Lita” 1988 e começa aqui o período de maior sucesso para a guitarrista/vocalista.
Depois de alguns relacionamentos conturbados Lita casou em 2000 com um músico e actualmente o casal tem dois filhos e disfruta de uma calma vida em família, mas quem sabe se Lita ainda volta à estrada?

Confesso que Lita inspirou o meu conceito de mulher. Eu queria uma namorada que fosse como ela que tocasse guitarra e cantasse, tivesse uma voz rouca e sensual, não precisava de ser loura e preferencialmente inteligente. Tinha que gostar de rock. Moral da história: nenhuma das minhas namoradas ou ex-mulheres corresponde ao que eu idealizei, nenhuma tocou guitarra e nenhuma tinha voz rouca. Na verdade Deus pôs-me cá para gozar comigo só pode!

Discografia de Lita Ford
1983 Out For Blood
1984 Dancin' On The Edge
1988 Lita
1990 Stiletto
1991 Dangerous Curves
1992 The Best Of Lita Ford
1993 Greatest Hits
1994 Black
2000 Greatest Hits Live!
2001 Kiss Me Deadly
2004 Platinum & Gold Collection











13 comentários:

Thunderlady disse...

O moral da tua história não deixa de ser curioso.

No meu caso, que adoro bateria, que não sei tocar apesar de ter tido um bom professor e muita vontade de aprender, tive a sorte de casar com um baterista. Mas lá está, ele deve dizer o mesmo que tu: "não toca bateria, nem sequer pandeireta, não tem voz rouca e não sabe cantar" :P

Su disse...

Ainda estás a tempo de encontrar a tua namorada de voz rouca e sensual e que saiba tocar guitarra! Quando menos esperares, lá estará ela...

bjks

Carracinha linda! disse...

Nunca se sabe se um dia não surge alguém assim na sua vida!

Bjs

Pandora disse...

Deixa lá, Todos temos ideais que nunca chegamos a ver nem de longe, mas não é por isso que não somos felizes, não é?
Talvez um dia , quem sabe, ela aparece.
Bom fim de semana.
Beijos.

Ana disse...

Era tão bom que todos conseguíssemos encontrar a pessoa que preenche todos os nossos ideais!! Era muito bom, mesmo..

Bjinhos

Afgane disse...

Thunderlady
Minha amiga podes não saber tocar mas ao fim de todos estes anos acho que o teu marido nem se importa com isso. De uma forma ou de outra vocês são o ideal um do outro por isso estão juntos. Ele toca e tu apoias que é o mais importante.
Beijos

Su,
Sabes amiga, tive uma namorada muito sexy (opinião generalizada) e que tinha e tem voz rouca... ainda estou traumatizado. Acho que nunca a vou esquecer para ter a certeza qu ela fica bem longe de mim he he he. Desejo-lhe as maiores felicidades e que encontre a pessoa certa, mas que fique longe de mim.
Beijos

Carracinha,
É verdade nunca se sabe, mas isso não é o importante. Aquilo que na realidade importa é que quem esteja connosco goste de nós pelo que somos e nos apoie retribuindo nós de igual modo.
Beijos

Pandora
Na verdade os ideais são uma referência que nos impele a continuar em frente na busca pela felicidade. Poderemos nunca os atinjir mas ao tentarmos descobriremos certamente muitas coisas interessantes.
Beijos

Ana
Tens razão era bom mesmo, mas conhecendo a vida como conheço acho que se encontrassemos tal pessoa ao fim de algum tempo estaríamos fartos dela pois o que nós gostamos é daqueles que nos dão luta e que desse modo extraiem o melhor de nós ( por vezes o menos bom também he he he)
Beijos

tolilo disse...

Tens bom gosto !

Mas eu queria uma
namorada
sempre vestida de
rosa!

Diabba disse...

Não estás a ser ingrato, para como as mulheres que tiveste?

Podem não tocar guitarra nem ter voz rouca (conheces alguma, ao vivo e a cores que tenha esses atributos? Não... pois, são raras), mas certamente têm outros atributos, alguns certamente louváveis.

beijo d'enxofre

Gata Pingada disse...

Uma vez que estiveste presente aquando do nascimento do nosso beco, bem escuro, nas traseiras da tua casa, viemos informar-te que o nosso blog já está a funcionar. Muitas novidades estão para aparecer ainda e posts novos todos os dias, catdepartments de musica, desporto, cinema, leitura e eventos, gatoterapia... Estás convidado para nos acompanhar no blog mais felino da blogosfera:

ALEXIA disse...

bommmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm nisto eu não me mete

beijossssssssssssssssssssssss

AcidoCloridrix disse...

Olááááá…… O tema actual no nosso dicionário do sexo na letra “J” – Jogos Sexuais. Além dum simples comentário, o desafio será que nos dêem “dicas” e ideias para esses mesmos “jogos sexuais”, quer por experiência própria ou por fantasias nesse domínio. Agradeço a colaboração em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2007/09/dicionrio-do-sexo-em-debate-letra-i.html HCL

Lurdes disse...

O amanhã a Deus pertence...
Óooooooooo fax favor, uma menina com guitarra ali prá mesa do fundo!!!!!!!!!

Beijinhos

black cat disse...

Ai a Lita... :-) um amigo meu também gosta muito dela. Da Senhora Ford tenho apenas um best of... (não sei qual, desculpa...) Mas já agora o que achas da Alannah Myles?