terça-feira, 26 de junho de 2007

Nove anos... uma vida demasiado rápida.

Olhando no tempo e no muito que se passa em nove anos, achamos que é muito tempo, mas quando se atinge uma certa idade, a realidade mostra-nos que a vida passa tão rápido que quase nem damos por isso. Ainda me parece que foi ontem que fomos, eu e a Kuska, buscar os nossos canitos. A realidade diz que foi há nove anos feitos agora em Junho. Eles nasceram em 19 de Abril de 1998 e dois meses depois estavam connosco. Tivemos muitas peripécias ao longo destes anos, umas menos angustiantes do que outras.

O Ikbal (o mais clarinho) era terrível. Quando íamos viajar ele entrava prontamente no carro, mas uma vez a viatura em movimento desatava a ladrar e até a querer morder quando o tentávamos acalmar. Sempre foi um cão muito ansioso. Desde assaltar a dona com uma fúria feita de alegria e provocação a desenraizar todas as plantas dos vasos, não houve nada que ele não fizesse. A personalidade do Ikbal é única. Ansioso, nervoso até, mas doce como o mel, meigo, um eterno bebé. Parece sensitivo pois adivinha as coisas mesmo antes de falarmos. Desobediente. Nós falamos com ele e vira a cara para o lado como quem diz – fala para aí que eu não estou cá. Uma característica interessante consiste no facto da pele dele ter um cheiro perfumado, mesmo quando está sujito, apenas alguns cães têm esta característica, isto nos afegãos, nas outras raças não sei.

Para o Ikbal banho e escova são uma tortura e vai de ganir parece até que lhe estão a fazer algum mal. Tem muitas cócegas. Está sempre atento e preparado para fugir ao menor sinal de desconfiança, seja para o banho seja para tomar um remédio. Se lhe cheirar a petisco não deixa ninguém em paz corre a mesa toda. Adora sair, uma corrid é o seu maior prazer e brincar, brincar sempre.

O Bahari (preto e prata) é o sr. Cão em pessoa. Muito senhor do seu nariz, gosta de estar deitado no seu canto, não perdoa a comidita nem por nada e é um cão de rotinas. Aprecia fazer o seu passeio sempre pelo mesmo trajecto e quando termina vira-se para a porta como que a dizer – está na hora da minha cama. É calmo, adora tomar banho, ser escovado e muitas festas, tirando isso não liga a nada. Tem uma personalidade vincada que faz com que os outros cães fiquem à distância. Mas é igualmente meigo sem grandes demonstrações.

Muito teimoso e maníaco com cheiros, arrasta qualquer um por causa de um cheiro e não arreda pé até cheirar tudo bem cheirado. É um companheirão em todos os momentos.

Hoje apercebemo-nos de que eles já estão velhotes, mais calmos, já não correm tanto quanto antigamente. Passou depressa, muito depressa. Mal demos pelo tempo. As preocupações, os medos, as inseguranças. Recordamos os momentos mais dramáticos pois também os houve, as alegrias que são tantas. A visão deles a correr com as irmãs naquela praia do Valmitão em Ribamar, Lourinhã. Soltos no vento galgando metros de areia ao som das ondas espraiando-se na areia.

Como passou tanto tempo tão depressa? Não sabemos. Na verdade o que descobrimos foi que tudo passou tão rápido que até parece um sonho.

23 comentários:

Van Dog disse...

Ikbal, Bahari, a vida passa depressa mas parece ser bem doce...
Ikbal, hás-de me explicar como consegues essa do cheiro - de certeza que garante subidas extra para o sofá... (aliás, dá para ver...).
Bahari, também me dava jeito saber como consegues tanto ascendente aí com a canzoada da zona...
Uauff para vocês!

Carracinha linda! disse...

Estes 2 "canitos" são mesmo lindos!!!! Cada um tem a sua personalidade, mas são ambos muito bonitos.

Realmente o tempo passa tão rápido que nem damos conta...

Bjs

Afgane disse...

Van Dog,
Isto da vida boa é verdade, não lhes falta nada. O cheiro é natural parece magia. O Bahari tem ar e porte de chefe e quando o incomodam é melhor fugir que ele não é para brincadeiras é um cãozaço. O mais engraçado é que ele é assim desde bebé. Na ninhada andava sempre sózinho e tinha um ar de mau e rezingão. Curiosamente, na altura, era o mais pequeno pois foi o último a nascer.

Carracinha,
Para mim são os cães mais lindos do mundo. Sei que sou suspeito pois sou o dono, mas adoro o galgo afegão, tenho uma paixão vibrante pela raça, mas por estes dois faço tudo seja o que for são os meus bebés eternos.
Beijos

Rita disse...

É delicioso ler o que escreves sobre os teus "filhos", para todos os efeitos é o que são para ti. E sentes esse tempo que passa da mesma forma que uma mãe sente quando olha para os seus filhos.
Esses cães são mesmo o máximo adorava fazer-lhes umas festas.
Jokas

LEXIA disse...

Hoje falas-te ao meu coração..flas-te deles daqueles que são mais verdadeiros em sentimentos...

beijos a pensar que o tempo passa...depressa demais

natura.viva disse...

"Daquelas" amizades e "daqueles" amores... eternos!
E que bom que é abrir o coração a seres assim...

Vieira Calado disse...

Venho agradecer a gentileza da nomeação que fez para o meu blog.
Um grande abraço.

Vieira Calado disse...

Volto novamente, para dizer-lhe que deve haver algum problema com o enderesso daS 7 Maravilhas,
pois a mensagem que lhes enviei, vem repetridamente devolvida. Dizem que não há aquele enderesso.
Agradecia me dissesse alguma coisa... se o souber, naturalmente.
Um abraço.

marla disse...

hummmm, que lindos affies!
não sei mesmo qual gosto mais..

como sou menina de 4 patas posso ficar com todos: Ikbal, Bahari e VD.
ninguém vai me criticar senão eu arreganho a dentola.

slap's
aos bonitões e ao simpático dono

Thunderlady disse...

Tenho um cão na minha casa e outro em casa da avó e já há dois anos que percebi como estãoa ficar velhotes. O da avó, que faz este ano 12 anos, já tem os seus problemas de saúde mas não se deixa vencer por eles, é um mimadão enorme, rafeirote mas lindo.
O meu é pequeno, eléctrico, nervoso, é com ele que falo primeiro todos os dias, é ele que me mima todos os dias ao acordar. Quando chego a casa os primeiros minutos de festa têm que ser para ele - e o dono que se lixe. É mimado e tem mau feitio (sai a dona).

Ao meu cão, e tenho consciência, trato-o como um filhote. Não o deixo sozinho em casa (um pouco para proteger os vizinhos da poluição sonora...)

É o meu miminho, é ele. Tenho a certeza que me compreende melhor que inguém e vice-versa.

greentea disse...

sem dúvida que os cães nos compreendem melhor do q ninguém - se eu estiver doente , o cão nã sai de ao pé de mim, se tiver trabalho e ficar a fazer serão até altas horas , ele ali fica enquanto o pessoal da casa se vai deitar... se eu entrar chateada , ele é o primeiro a perceber e nem vem pedir para ir brincar com ele; e outro dia , apareceu alguém "suspeito" a tocar à porta e ele que nunca ladra, não se calava, só para me avisar...

Os cães vivem muito menos que nós e qd nos deixam, é uma saudade...um vazio muito dificil de preencher! O meu cão tem 11 anos , mas o pai dele esteve connosco 17 anos e por vezes , ainda lhes troco os nomes...

Afgane disse...

Rita,
É verdade. Estes cães são como filhos para mim. É dessa forma que os vejo e que sinto. Quando estão doentes sinto a mesma angústia que sinto quando os meus filhos humanos estão doentes. Os meus patudos são filhos crianças que nunca irão crescer e que toda a sua vida irão depender de mim. No dia em que partirem parte de mim parte com eles e nunca mais regressa. Sem eles também eu morrerei um pouco.
Beijos

Lexia,
Não há dúvida que o tempo tem asas. Diz um livro de que gosto que não há longe nem distância, mas há certamente coisas que passam depressa de mais.
Beijos

Natura Viva,
Os meus cães devolveram-me a sensibilidade, reaprendia a amar e a não ter medo de me mostrar tal como sou, uma pessoa sensível.Devo muito a estes dois patudos que deram um novo sentido há minha vida.

Vieira Calado,
Não tem que me agradecer meu amigo, nomeei o seu blog de acordo com o que sinto e com prazer.
Abraço

Marla,
És uma cabeça de vento. Queres todos que inconstância de sentimentos por aí vai he he he!

Thunderlady,
Tens razão no que dizes sobre os nossos bichinhos. Basta um olhar um carinho ou um simples gesto, mas nós sentimos que os compreendemos e que eles nos compreendem melhor do que ninguém.

Greentea,
Essa é uma grande verdade, os nossos meninos e meninas são uns companheirões incondicionais.

Actriz Principal disse...

Pois eu é mais gatos. Ainda assim, gosto de cães e alguns até parecem gostar de mim.

Há poucos Sábados atrás, estava eu a fazer nenhum sentadinha num banco do parque perto de casa, quando passa uma moça com um cachorro muito simpático. Faço umas festas ao bicho, falo com a dona e eles lá seguem passeio. Cerca de meia hora mais tarde, passam novamente os dois. O canito ainda estava a uns bons 20 metros quando me vê, mas começa a correr na minha direcção, salta para o meu colo e começa a lamber-me o queixo como se já me conhecesse de outras guerras! Enfim, lá fiquei eu lambuzada e rir-me que nem uma perdida e com a roupa cheia de poeira.

Parece-me que o Ikbal e o Bahari terão tudo menos focinho de quem leva uma vida de cão! Acho muito bem, a páginas tantas os nossos bichinhos já são verdadeiros elementos da família, não são? E estes dois são bem bonitos! Os meus parabéns!

Beijos

caniche vagabundo disse...

Eu acho muito bem que sejamos "donos do nosso nariz"... os nossos donos que tenham paciência!

Gostei dessa coisa dos "bebés eternos", vou ver se pega cá em casa!

Parabéns pelos canitos!

Pandora disse...

Ainda bem que nos apresentas-te os teus meninos. São LINDOS!
quem tem animais , tem sempre histórias maravilhosas para contar, não se entende como , mesmo assim há ainta tantos que só gostam de os maltratar.
As minhas filhas, pedem-me muitas veses para lhes contar histórias de animais que tive ainda antes de elas nascerem...e adoram...sempre.
Beijos.

Van Dog disse...

Marla, eu não te critico: tens muito bom gosto! ;)

Diabba disse...

Gosto do amor incondicional que lhes dedicas... igual ao que eles te dedicam a ti, tenho a certeza!

beijo d'enxofre

kuska disse...

ao dono dos eternos bébés
aos amigos

não exagero quando afirmo que os melhores momentos da minha vida estão ligados a estes dois seres únicos.
o ikbal e o bahari são indissociáveis no meu coração. juntos são duas faces da mesma moeda porque se complementam.
tudo o que de bom se pode querer vem em duplicado tal como o que damos é a dobrar.

foram e são cães felizes!

um dia irão juntar-se aos seus amigos, no céu dos nossos animais... e como estrelas iluminarão a nossa profunda tristeza.

que esse dia esteja muito longe e que o tempo passe muito devagar para podermos aproveitar a dádiva do presente!

aquele abraço!

Pedro Arunca disse...

Olá,
Passe no meu blogue e veja quem nomeie para as 7 Maravilhas.
PA

PS.: O seu, se mo permite, vai para Blogues no Cais

Ana disse...

Deixei mais um voto lá no meu cantinho.

Bjs

Afgane disse...

Actriz Principal,
Os cães rapidamente percebe quem gosta deles e o contrário, por isso esse saltou para si. É óbvio pelas fotos que aqui tem umavida de cão são os donos pois os nossos meninos são uns bebezões a quem, felizmente, nada falta.
Beijos

Caniche Vagabundo,
Nada que uns bons olhares meigos não conseguem. Os donos derretem-se todos com isso.

Pandora,
É bom que as crianças aprendam desde cedo que ter um animal é uma coisa maravilhosa é quase como um dom que nos é dado e fica sempre algo que nos acompanha pela vida inteira, mesmo muito depois dos nossos queridos bichos partirem.
Beijos

Diabba,
Tal como acontece com os meus filhos o meu amor pelos meus cães e as preocupações são idênticas. Vivo ambas as situações com a mesma intensidade, para o melhor e o menos bom.
Beijos

Kuskinha,
As tuas palavras são maravilhosas e reflectem bem o que sentimos pelos nossos Ikbal e Bahari. Eles serão para sempre os nossos patudões e isso nunca ninguém nos tirará. Que vivam muitos anos na nossa companhia e que sejamos sempre felizes.
Beijos

Pedro Arunca,
Obrigado pela visita e passarei lá pelo seu espaço durante o meu regresso.

Ana,
Lá passarei assim que possa
Beijos

Teresa disse...

Eis um assunto a que eu fujo de pensar como o diabo da cruz, tanto a ideia da morte dos nossos meninos me é dolorosa.

Messy já está com quase 13 anos...

Um beijo.

Afgane disse...

Teresa,
É inevitável que os nossos meninos e meninas um dia partam. Pela lógica da vida eles irão primeiro, por mais que essa ideia nos custe temos que estar preparados para isso. Mas na verdade nunca ninguém está preparado
Beijos