sábado, 9 de junho de 2007

Felicidade existe?

O conceito de felicidade é variável e bastante pessoal, existem no entanto características comuns relacionadas com as nossas ambições, posicionamento na sociedade em que estamos inseridos e na busca de um certo status. Estes serão apenas alguns dos pontos que partilhamos todos. È óbvio que muitos discordarão, uns dirão que é a família, mas porque será que os que têm a dita família não são felizes? Outros dirão que é o amor com que sempre sonharam. É-o na verdade, pelo menos por alguns meses ou até anos, mas a ruptura ou o divórcio é o passo seguinte. Não nos enganemos, o que acontece é que estamos permanentemente insatisfeitos e quantas mais dificuldades mais insatisfeitos ficamos, ansiosos, irritados e nada parece correr bem.
Segundo alguns estudos realizados por especialistas, um dos principais entraves à nossa felicidade consiste no facto de andarmos ocupados com as nossas carreiras e obrigações profissionais. Na verdade o trabalho ocupa muito da nossa vida, não basta sairmos do emprego, os problemas continuam na nossa cabeça e vêm connosco para casa, misturam-se com o resto da nossa vida. Depois ainda há as incompatibilidades com chefes ou colegas, os dias que correm menos bem, o trânsito ou os transportes atrasados e a abarrotar, as longas viagens de casa para o emprego e volta. Chegados a casa é o jantar, a loiça e roupa para lavar, estes apenas alguns factores. Depois os problemas pessoais, os problemas da família, dos amigos. Tudo junto e misturado no caldeirão da vida dá uma bela sopa de confusões. Mas não podemos esquecer o horror das contas mensais, casa, empréstimos, carro. Isto para os solteiros pois para os casais a coisa piora, especialmente se têm filhos.
Os meses são sempre mais compridos do que os salários e a busca para ganhar mais uns pós é constante. Na verdade temos mais conforto, mais e melhor saúde, maior esperança de vida e muitos bens de consumo, alguns até em excesso, mas e tempo para desfrutar de tudo isso? Será que temos tempo? E disposição?
Não temos tempo e nem podemos comprá-lo. Por este motivo muitas vezes deixamos de fazer coisas que seriam óptimas para desanuviar e optamos pela televisão ou Internet. Amigos virtuais: mais prático e mais barato com a vantagem que quando não quisermos estar com eles desligamos o computador. Tendo tudo isto porque raio somos infelizes?
A solidão é um sintoma social cada vez maior, tal como a ansiedade e a depressão. Andamos quase sempre deprimidos seja com o que for. Temos sempre queixas para fazer. Os empregos já não são seguros como antigamente, estamos nas mãos dos bancos, das finanças com a sua enorme carga fiscal. Um dos principais factores de infelicidade é a falta de dinheiro. É certo que o dinheiro por si só não traz felicidade, mas ajuda a comprar alguma e contribui para nos dar a tranquilidade necessário para encontrar o resto. Dinheiro, o motor do mundo em que vivemos! Eis aqui um dos maiores factores que contribui para sermos infelizes: dinheiro custa a ganhar e o que ganhamos mal chega para aquilo que hoje é o kit básico da sobrevivência: casa, recheio, carro e comida. Tudo o resto já é luxo. Posto isto o que nos falta para sermos felizes? A mim? Euro milhões precisa-se dá-se uma percentagem a quem o encontrar.

18 comentários:

Ana disse...

Para mim, a Felicidade não é um estado absoluto nem durável no tempo. Para mim, a Felicidade são momentos.

Eu tenho momentos de Felicidade, momentos em que me sinto realmente feliz com determinado acontecimento e durante o qual nada mais me assalta o pensamento.
São esses momentos que eu procuro e que eu prezo.
Esperar um estado de felicidade constante é meio caminho andado para nos sentirmos insatisfeitos.

Bjocas

Teresa disse...

A felicidade existe, sim. Em momentos curtos e localizados. Sei que sim, já a tive nas mãos muitas vezes. E sempre sabendo que ia acabar - de outra forma não seria tão preciosa.

Agora uma crítia, meu amigo... que raio de fotografias são estas? A Kuska assim que as vir vai concordar comigo e vai rir como uma perdida!!! São uma reedição das daquele post da ternura dos 40 com que tanto lhe chateámos a cabeça!!!

Quanto ao dinheiro... olhe, neste momento estou numa fase em que só me apetece dizer people who say money can't buy happiness simply don't know where to shop!

Eu ia já disparada para Nova Iorque e a seguir para as Bal Harbour Shops de Miami (A Rodeo Drive de LA é uma piada, comparativamente...)!

Pandora disse...

Meu amigo, eu sou feliz.

Tenho todas essas contar para pagar ao fim do mês (gasta-se menos ).
Mas também tenho o que sempre desejei, a minha própria familia(com guerras, pois claro, também faz parte).
OK, falta o milhões, mas esse falta a toda a gente.
Beijos.

marla disse...

olá,

estou triste, por mais voltas que dê ao nariz não sei o que é felicidade. palavra comprida que não me cheira a nada ;0(
acho que vou pedir à minha dona para comprar um pedacinho de felicidade para eu provar!

slap's é curtinho e sabe bem ;0)

kuska disse...

olá!

hoje para mim felicidade é poder estar cinco minutos sem me assoar e sem tossir.. nada mais que isso!

mas pelo teu post e a avaliar pelas fotos, a Felicidade coitadita anda um bocado pelas ruas da amargura, excepção feita na foto em que o belo carro lhe quer dar boleia ;0)
......
uma parte de mim aceita que felicidade pode ser: muitas alegrias juntas; muitos sonhos concretizados; momentos de plenitude inesquecíveis; amores para sempre.. como nos contos de criança.

no contexto global, custa-me muito pensar que para a maior parte dos habitantes deste nosso mundo, pessoas como nós, esse conceito nem sequer se coloque porque a sua única luta e esperança é sobreviver.

adorei a música, como sempre!
beijinhos

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

Thunderlady disse...

Olá Afgane, esta "louquice" é para deixar um desafio. Psse aqui :)

Aguardo ansiosamente a entrada prometida!

Van Dog disse...

Também pra mim a felicidade está em momentos. E acho que se aprende a ter pré-disposição para os gozar...

Marla, uns momentos de correria com canzoada amiga? Ou deitares-te à sombra a descansar depois da brincadeira? Slap's!

Thunderlady disse...

Agora com mais calma li com a atenção que queria esta entrada. Este fim de semana tive oportunidade de divagar um bocado sobre isto.
Na minha opinião o problema maior e geral no meio disto somos nós próprios, insatisfeits com tudo até mesmo com a nossa insatisfação e sensação de impotência.

Muitas veses (e problemas monometários à parte) temos momentos de felicidade tão perto de nós e não os vemos (sentimos). Ou quantas vezes, e já nem sabemos se por teimosia se por cegueira vamos procurar a felicidade onde ela não existe e lá continuamos, sem felicidade e com o tempo a escoar por entre os nossos dedos, a "bater nessa tecla". Eu não sei o que é felicidade. Se são momentos, como diz a Ana e a Teresa, se são ilusões, saboreadas de felicidade a longo prazo. Visões do passado. Desejos do futuro.

Sei por experiência que não devemos apostar tudo no mesmo naipe. Aliás, começo agora a ver que não devemos apostar tudo. (daí Fado - Herois do Mar)

Carracinha linda! disse...

Felicidade.

Acho que em tempos a consegui saborear.

Mas agora acho que a felicidade plena é qualquer coisa que não existe.

E acho que somos nós os culpados.
Porquê? Porque nunca estamos satisfeitos com o que temos. Ou porque a família próxima afinal não é assim tão próxima de nós. Ou porque o emprego não é exactamente aquilo que desejamos. Ou porque amigos...cada vez há menos. Ou porque não sabemos dar valor ao facto de termos saúde. Ou porque não sabemos amar da mesma forma quem a nós ama.

Acho que já desisti de pensar que essa tal felicidade plena e duradoura existe. Como disseram aqui a felicidade traduz-se em momentos. Quando fazemos alguém sorrir, quando alguém nos faz uma boa surpresa, quando vamos pela primeira vez a um sítio que achamos belo, quando alguém nos diz que gosta de nós...Momentos de felicidade. Só momentos.

Bjs

Rita disse...

Pois eu considero-me uma pessoa feliz. Tenho um emprego de que gosto, não tenho problemas com o chefe, não ganho mal. Familiarmente tenho duas filhas adoráveis e um belo maridinho e felizmente somos todos saudáveis. O que é que posso pedir mais? Está certo que o euromilhões poderia aumentar essa felicidade mas também a podia arruinar por isso e não querendo parecer pouco ambiciosa, por enquanto tudo bem... Daqui a uns tempos ninguém sabe.

LEXIA disse...

felecidadepara mim é ter quem amo junto...

o resto são são pequenas coisas....
pelo menos para mim

beijos felizes

Afgane disse...

Ana,
Ainda bem que tem momentos de felicidade, esperemos que durem a vida inteira.

Teresa,
Tem razão quanto às fotos mas com a falta de tempo que tenho tido aproveitei as primeiras que encontrei...rsss mas anoto o comentário. Quanto ao euro milhões nem quero imaginar o que faria com aquela pipa de massa, mas sei que estaria feliz.

Pandora,
Ainda bem que é feliz e que a felicidade que tem a preenche. Que tudo continue assim para sempre.

Marla,
Pede à tua dona que compre um pouco mas e manda-me que dava jeito.

Kuska,
Pois é estás doentita, espero que melhores depressa. Quanto às fotos remeto-te para a resposta à Teresa lá explico.
Tens razão quanto ao contexto da felicidade. Na verdade ele pode ser qualquer coisa desde que nos sibntamos felizes, mesmo que por momentos. Felicidade global é uma utopia, pelo menos por enquanto.

Rodrigo,
Obrigado pela visita volta sempre.

Van Dog
Tens razão meu amigo, a felicidade podem ser alguns momentos na nossa curta existência.

Thunderlady
Vou responder ao desafio o mais breve possível.
Quanto à felicidade subsiste uma dúvida: quando perdemos a felicidade por apostar tudo no mesmo naipe será que se não apostássemos teríamos a oportunidade de errar? Eu continuo a acreditar pois essa é a minha natureza, se vou ser feliz ou não tenho o resto da vida para descobrir. Existem momentos que me enchem de felicidade: estar com os meus filhos quando posso, estar com os meus cães sempre que possível, com a minha amiga Kuska, estar no palco (sensação única), escrever, desenhar, tocar... milhares de momentos no meio de uma vidad de desilusões, mas que tem valido a pena viver.

Carracinha,
A felicidade existe sim costuma estar no lado oposto aquele em que estamos mas um dia a gente encontra-a. Eu acredito nisso, é a minha fé.

Rita,
Ainda bem que é uma pessoa feliz com o que tem e que tem o que a faz feliz. Oxalá dure para sempre

Lexia,
Que tenha toda a felicidade do mundo sempre consigo

Beijos e abraços para todos

AcidoCloridrix disse...

Nada mais certo,,,, a felicidade todos a procuram,,,, mas o conceito dessa mesma felicidade depende de cada um e do seu sonho de vida,,,, mesmo quando alcançamos um certo "nivel" de felicidade procuramos sempre mais, e mais, e mais felicidade,,,, que a mesma se pode esgotar em nós próprios,,,

Lurdes disse...

A felicidade... quem não a quer?!?!
Eu acho que a grande questão está em darmos demasiada importância e algumas pequenas coisas e muita pouca importância a outras bem maiores!
Mas tenho que concordar contigo, o euro-milhões também me faria muito feliz e consequentemente, a muito boa gente também!!! A felicidade alcançada pela libertação da escravidão financeira...

Beijinhos e que te saia o euro-milhões (se não me saír a mim!)

Marrie disse...

Olá... estou invadindo aqui o teu espaço depois de ter lido um comentário teu em outro blog acerca do casamento. E, acabei encontrando este post q fala sobre felicidade. Concordo contigo qdo dizes q a felicidade é algo q buscamos a vida inteira e q nem sempre a encontramos. Mas eis um erro gravíssimo: a felicidade não está "fora" de nós, mas sim "em nós". No dia q entendemos isto e q pararmos de buscá-la do lado de fora ai sim acho q seremos realmente felizes. Qto ao casamento.... "divórcio como passo seguinte?!" Não posso concordar. Se quiseres passa lá no meu blog q fala exatamente sobre esse tema.... e sobre várias maneira de fazermos a vida a dois mais interessante e duradoura. Possa ser q ainda não tenha valido a pena, mas tenho certeza q um dia irás desejar se não trocar mas ao menos compartilhar tua guitarra c/outro alguém...... torço por vc pra q isso aconteceça pois é muuuuuito bom! Mesmo c/todos os atropelos q a vida a dois nos oferece..... desde q saibamos contornar todas essas situações!!! abraços

Marrie disse...

Oi....... q bom q concordas comigo e q tenhas gostado do meu espaço. Se permitirei o teu regresso??? Já estou aguardando o teu retorno por lá... bj

Anónimo disse...

acredito que a felicidade existe para aqueles que fingem crer nisso. não sou feliz não tenho nenhuma alegria e isso me consome dia a dia. vejo pessoas reclamando constantemente procurando a felicidade sem encontrar se ouver remédio gostaria de tomar mas infelizmente nem todas as pessoas nasceram com o dom da felicidade.........