sábado, 31 de janeiro de 2009

E SE? O Que fariam?

Pois meus amigos imaginem que descobri que muitas das coisas que nos acontecem na vida por vezes resultam da interrogação E SE? Rebobinando o meu filme do tempo e indo ao encontro de um passado recente, tendo em conta que em breve completarei mais um aniversário, no dia 18 de Março, procurei descobrir os meus E SE! Começando pelo início...

Um amigo meu que conhecera uns tempos antes do meu 49º aniversário, num jantar de bloggers, o Paulo Blade, também dava uns toques de guitarra e a afinidade foi imediata. Encontrámo-nos, ele esteve em minha casa e depois de umas guitarradas, ouvir músicas minhas e até ver alguns vídeos, ele disse-me que eu devia era voltar a tocar que era uma pena eu desperdiçar o meu talento. A Mesma opinião tem o meu amigo músico e produtor Álvaro M. Rocha com quem deixei um trabalho por acabar. Mas o facto é que foi o Paulo Blade quem me deu a ideia. Estávamos em Janeiro de 2008. Na verdade eu há mais de 6 anos que não pisava um palco. Uns dias antes da minha conversa com o Paulo eu fora assistir a um concerto das Black Widows uma fantástica banda feminina de metal. Desse concerto, não obstante serem todos fantásticos músicos, a verdade é que fiquei maravilhado com o trabalho da baterista Ana Maria e da baixista Sara Cardoso. Juntando tudo isto pensei E SE? Se melhor o pensei melhor o fiz, convidei ambas para me acompanharem num pequeno projecto, festejar o meu aniversário em palco. Rapidamente escolhi as músicas, juntei o meu ex-vocalista o Bruno Vale e o meu amigo Paulo Blade, Falei com o dono do Muralhas e o concerto aconteceu tal como contei num dos posts deste blogue. Mas mais do que isso, ganhei duas novas e sinceras amigas que são umas queridas, a Ana Maria e a Sara com quem mantenho contacto permanentes. Algum tempo depois do meu aniversário e por intermédio da Ana Maria conheci uma outra pessoa com enormes afinidades comigo e que em conjuntos nos estimulávamos mutuamente, nasciam ideias e fizemos várias coisas interessantes, muito embora a concretização estivesse muito mais a meu cargo, mas isso é outra história. Através dessa pessoa criámos em conjunto um MySpace cuja direccionalidade era ser um espaço para músicos e aspirantes a músicos. Graças a isso e por que a pessoa em questão muito embora goste de música e de guitarras, a verdade é que não percebe nada do assunto, aí eu comecei a elaborar textos que eram no fundo pequenos manuais com tudo o que era importante saber, em português e inglês, sobre guitarras. Tais manuais foram colocados no blog do dito Myspace e obtiveram alguns resultados imediatos.Aí surgiu mais um E SE? Na verdade era não ficar por ali e continuar a escrever sobre baixos, amplificadores, sitemas de PA etc. Por razões que não interessam mencionar aqui, a dada altura, resolvemos separar as águas e cada um seguir aquilo que achava ser o melhor para si. Resolvi criar o meu próprio MySpace cuja finalidade era dar continuidade ao que iniciara e vocacioná-lo para ser um espaço em que os músicos pudessem trocar informações, experiências e ensinarmos uns aos outros enquanto aprendiamos. Mas, ao mesmo tempo tinha falado da ideia com um director de um um grande grupo editorial que se mostrou interessado nos textos. E SE? repentinamente tal grupo editorial quisesse comprar todos os direitos dos textos e ainda mais alguns por uns milhares de euros? Bem o Myspace criado deixava de existir naqueles moldes e restava saber se valia a pena continuar e como. Resolvi terminar com o Myspace por uma questão de deixar de fazer sentido, sem os tais textos e também por falta de tempo para o alimentar com outro tipo de informação. Apesar de tudo e o mais engraçado é que através dessa tal pessoa conhecida minha com quem tinha feito o MySpace inicial, conheci outra pessoa com uma nobreza de carácter como é raro encontrar hoje em dia, a Sandra, que se tornou minha amiga. Logo percebi como é engraçado o encadear das coisas e como os E SE? podem mudar a nossa vida conduzindo-nos para novos caminhos. Durante o trajecto entre a data do meu aniversário e agora mudei de emprego, mais para a minha área, os instrumentos, mas as coisas não estavam a correr como eu esperava. Entretanto adoeci com uma depressão, o que me fez ficar em casa alguns meses e durante esse tempo acumular ainda mais tensões e ansiedades devido a uma determinada situação que se veio aprovar ser mais uma asneira, daquelas que fazemos quando nos deixamos seduzir pela ilusão, queremos acreditar nela e recusamos olhar a realidade. Aí pensei... E SE? Resolvi pedir alta, atirei-me ao trabalho com afinco e totalmente dedicado a conseguir dar a volta à questão. Acreditem que foi o melhor que fiz e foi o melhor remédio para a depressão e ansiedade. As coisas começaram a encaixar e a correr melhor em todos os sentidos. Mas ao longo de todo este processo contei com a ajuda de verdadeiros e sinceros amigos que não vou mencionar aqui pois eles sabem quem são. E no meio de tudo isto resta-me um E SE? Imaginem que me deixava abater, que me entregava à tristeza, ao sofrimento e a sentir pena de mim próprio. A Esta hora continuaria em casa encharcado em anti-depressivos e na mais completa apatia. Pois é meus amigos abençoados E SES? que a nossa vida nos vai colocando e que nos fazem tomar decisões e continuar em frente. Eu costumo dizer que todos nós temos um passado, momentos de alegria e de tristeza, enganos, desenganos, mas que apesar de algum sofrimento à mistura lá conseguimos ultrapassar até que as coisas menos boas se perdem na memória face ao que de bom nos vai acontecendo. O tempo é como um bálsamo para as feridas e uma porta para as coisas boas e também para os muitos E SES? de que se compõe a nossa vida. Abençoados E SE?

3 comentários:

Pandora disse...

Ainda bem que os E SES? se imposeram e agora estás bem. Abaixo os comprimidos e viva a vida.
Beijos.

Thunderlady disse...

E se não houvessem E SES na nossa vida?

Sabia que estavas comprojectos novos, desconhecia que tinhas estado tão em baixo.

Saliento no meio disso tudo a tua coragem para pedires alta. A dad aaltura o estado de letargia põe-nos emtre a espada e a parede e ou mudamos as coisas por nós ou deixamos-nos vencer pelas drogas.

Como estás agora? Sentes-te bem?

:)

Beijinhos e bom regresso!

Su disse...

Olha meu amigo,

Como te tenho dito, ao longo de mais esta etapa da tua vida, "para a frente é que é caminho", e mais não digo, porque sabes do que falo...

Bjks grandes