quarta-feira, 18 de julho de 2007

A Ditadura da Democracia

Desejando afastar um sentimento de revolta e indignação, procurei reflectir sobre a sociedade em que vivo e fiquei um pouco desanimado. Não querendo parecer saudosista sobre outros tempos, a verdade é que me lembro da época em que o nosso ritmo de vida era bem mais calmo, em que o tempo dava para fazer muitas coisas. Aquele mesmo tempo em que a família jantava junta e em que até havia horas para chegar a casa. Lembro-me em que era impensável faltar ao respeito fosse a quem fosse, a figura da autoridade impunha contenção, mas garantia a segurança de todos nós. Lembro-me de passear em Lisboa à noite sem temor e de correr Cascais de lés a lés com um misto de alegria e prazer. Foi a época das namoradas estrangeiras que passavam férias no nosso país, dos bailaricos mil em que toquei e das matinés (como se dizia) nas discotecas. A política não existia para mim e para muitos como eu. Havia emprego, nós saíamos de uma porta para entrar noutra mesmo ao lado.
Um dia chegou o 25 de Abril e os seus exageros, vieram os políticos essa corja que nada faz a não ser por si próprios e seus comparsas. Também militei na UEC e UJC até me aperceber que aquilo era tudo uma mentira pegada. Muitos dos jovens políticos do meu tempo que não tinham onde cair mortos, os que continuaram na política, hoje vivem na Quinta da Marinha e auferem chorudos salários. O respeito pela autoridade e pelos mais velhos perdeu-se, o tempo voa, para tudo é preciso dinheiro e nunca chega, trabalhamos cada vez mais e ganhamos cada vez menos. Dizem que temos a liberdade de falar. Para quê? Ninguém nos liga! Podemos criticar mas se isso afectar instituições ou o governo a lei cai-nos em cima com processos por difamação e acreditem que seremos sempre condenados. Os políticos fazem o que querem e safam-se sempre, nós pagamos a factura. Descontamos uma vida inteira para uma segurança social que nos é imposta e que para pagar chorudas pensões a políticos e reformados das empresas públicas a quem bastou trabalhar 4 ou 8 anos, a instituição está falida. No final nem reforma temos a menos que aumentem a carga fiscal que já é de si bastante pesada. Todos os direitos que tivemos ao longo dos anos têm-nos sido retirados. Os bancos roubam-nos descaradamente, as empresas também cobrando juros elevadíssimos. Por exemplo: um atraso num pagamento gera juros para a empresa, se for ao contrário nós não temos direito a eles.
Perdoem-me mas sinto-me muito mais oprimido hoje do que antes do 25 de Abril e na realidade a democracia não passa de uma ditadura férrea encapotada.
Hoje mesmo recebi o meu IRS diz o seguinte: o reembolso apurado é de €2.60 como é um montante inferior ao considerado pela lei para pagamento não tem a receber nada. O montante na lei prevê todas as importâncias inferiores a €25. Imaginem alguns milhões de contribuintes na minha situação e vêm quanto é que o estado embolsa. Mais caricato ainda: quando fiz a minha declaração pela net tive problemas e só acabei por conseguir no dia 15. Declaração com atraso multa de €25, até aqui tudo bem. Já depois do mail de confirmação de declaração aceite e validada recebo uma carta das finanças dizendo que como não entreguei a declaração tenho que pagar €124 e que se quiser leve um advogado comigo para poder protestar. Isto é que é um país, mas de ladrões.
Poderia ficar aqui a relatar situações que já todos conhecemos, mas para quê? Resta-me dizer que se ganhasse o euro milhões me iria embora para um país verdadeiramente democrático como a Suiça por exemplo e não ficaria nesta fantochada. Que pena o meu querido e bonito país estar entregue a esta corja de políticos que dão cabo dele.
Deixo aqui uma música de um homem que sempre admirei Frank Zappa. É rude e de linguagem crua más reflecte o meu estado de espírito e a minha revolta. Deixo também a letra assim podem cantar em uníssono e espantar a frustração que sentirem.
Para além disso ainda como bónus um vídeo de um outro tema polémico "In The Slime"






8 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Como não iria escrever mais e melhor, ficoo-me pelo elogio e dou-te toda a razão.
eu faria o mesmo. Estou farto deste País, farto de achar que só eu é que reclamo.
É uma corja de FDP, de chulos e de ignorantes!
Abraço

natura.viva disse...

Um 25 de Abril feito, mas ainda por fazer...

marla disse...

olá
olá!

a minha dona está organizando umas mudanças e não tem muito tempo para comentar, apesar de passar pelos blogs e ler os post's.

segundo percebi (que eu de política não entendo nada) ela concordou com esta descrição do estado actual das coisas (?)

falou, falou, falou, mas aquilo que eu retive e transmito é: "quem fala assim não é gago, devia estar na AR a fazer oposição"

missão cumprida!

slap's para o Dr. Afgane

Thunderlady disse...

Afgane, não tenho o termo de comparação entre o pré e o pós 25 de Abril, nasci já depois disso.

Realmente cada vez ouço mais pessoas que viveram no "pré" a compararem e a encontrarem coisas cada vez pior no "pós".

A música ilustra muito bem o sentimento ;)

ALEXIA disse...

è o pais que temos....não vale a pena nem comentar, vale sim fazer algo para ver se isto muda

beijocas a agradecer os parabéns

Rita disse...

Eu também não tenho ponto de referência entre o antes e o depois mas sei, por exemplo que quando era miúda andava a bricar na rua, ficava em casa sózinha (quando era preciso - agora não deixo as meninas sózinhas nem para ir lá abaixo buscar o correio). Na terra do meu pai então andavamos sempre à solta, ficava no parque com uma amiga a andar de baloiço com apenas 4 anos!! Hoje em dia como é que eu alguma vez deixava a R grande sozinha num parque. É assim, a coisa têm-se vindo a deteriorar e a tendência infelizmente é para piorar...É triste!
Jokas

Afgane disse...

Cap Créus,
Obrigado pela visita e ainda bem que há mais quem pense como eu e não se deixe enganar.
Abraço

Natura VIva,
É verdade minha amiga, mesmo muito por fazer.
Até breve

Marla,
Vou pensar em dedicar-me à política. Posso não mudar nada mas enriqueço certamente.
Beijos

Thunderlady,
Infelizmente é desse modo que nos sentimos mas com a esperança de que isto melhore um dia.
Beijos

Aléxia,
Espero que o teu aniversário tenha sido muito feliz e cheio de prendas.
Beijos

Rita,
É bem verdade que antigamente se podia brincar livremente na rua até noite dentro, hoje isso é impensável. Que Portugal estamos a deixar paraos nossos filhos e netos?
Beijos

AEnima disse...

Caminhamos a passos largos para uma ditadura de esquerda com o disfarca da chancela do capitalismo. Sinceramente, pior do que receber (ou nao) apenas 2,60 euros, me parece a taxa de imposto a alguem com rendimentos ja tao baixos imposta! 23,5% a quem nem 1000 euros por mes ganha???? Ide chular la fora!!!

Sabes... um dia ninguem vai trabalhar. Sinceramente, tantas horas, chatices, desesperos, problemas para ganharmos uma autentica MISERIA e ainda por cima pagar 21% de IVA, 80 euros a cada viagem no alfa porto-lisboa e se precisarmos de um dentista ou oftalmologista ou qualquer outro especialista ainda pagar mais 80 euros de consulta por fora, porque se esperamos no hospital bem que a carie avanca e come o dente todo antes de sermos atendidos!

ROUBALHEIRA!!!! O fisco merece os estabelecimentos prisionais degradados que temos!